inspirado pela série Manual de Uso, de Umberto Eco, em Segundo Diário Mínimo, um pequeno guia de como se portar no mundo. Ou não.
Esse blog não é politicamente correto.

9 de setembro de 2010

Como ser uma vítima

Na infância
1. Sempre que puder grite para seus pais: "eu não pedi para nascer".
2. O brinquedo das outras crianças é sempre mais novo, melhor ou mais equipado.
3. Seu amigo sim, tem uma suíte só pra ele, e ele nunca precisa arrumar o quarto.
4. Os pais dos seus amigos são, de fato, mais legais que o seus.
5. Na casa dos seus amigos, eles jantam purê de batata com ruffles toda noite. Eles nunca são humilhados por causa de um brócolis.
6. E principalmente: seus amigos tem uma infância feliz e perfeita, como nos anúncios de cereal, e não essa degradação moral a qual você é submetido diariamente.

Na adolescência
1. Desenvolva a bizarra teoria que cada dom acarreta automaticamente um defeito, de modo que:
os bonitos são burros
os inteligentes são feios
os ricos são superficiais
os profundos tem traumas secretos
os humildes são conformistas
os seguros de si são ingênuos
os populares com as mulheres não sabem o que é o amor
os românticos são encalhados
os engraçados são grosseiros
os quietos são críticos
os falastrões são sem noção
os bondosos são falsos e fazem bondades apenas para desviar a atenção da sua total falta de caráter
os justos são malvados mesmo
os músicos são sabem trigonometria
2. Apenas você parece ter acumulado, num processo kármico todo especial, apenas defeitos. De modo que você é burro, feio, superficial, cheio de traumas irreveláveis, conformista, pobre, inseguro, romântico e encalhado e por isso não sabe o que é o amor, grosseiro, sem graça, crítico, quieto, sem noção, falsamente bondoso e ainda por cima tanto não toca violão quanto não sabe trigonometria.
3. Fale mal de todas as festinhas. Isso fará com que ninguém nunca te convide pra uma, de modo que você possa padecer de rejeição para toda vida.

Escolhendo uma carreira
1. Nunca escolha aquilo que te dá prazer e sim, um bom futuro e estabilidade financeira.
2. Quando encontrar alguém que optou na vida por seguir uma carreira não convencional, lamente (por pelo menos um mês) pelo fato de que os outros são livres e você não.
3. Não ganhe pouco, mas trabalhe muito e administre mal seu dinheiro. Assim, você pode sempre estar duro, o que ajuda muito na percepção de  que todos são vencedores, exceto você.
4. Tenha sempre a mão frases que mostrem como sua vida é sacrificada, como:  "eu não tenho nem o que comer"; "salsicha sadia lá em casa é luxo"; "meu sonho é poder comprar Neve e não Primavera"; "não posso pagar R$2,50 num cafezinho, isso é o orçamento mensal de pó de café em casa".

No dia-a-dia
1. Inicie todas as frases com NÃO. Mesmo que você esteja concordando (use "Não, claro!"), mesmo se for uma afirmativa (não, sim, eu acho...). Isso contribuirá pra sua negatividade mórbida.
2. Pegue caminhos com muito trânsito e pratique os horários de pico. Ex: opte pela Av. Rebouças,sempre. Aparentemente, achar que o trânsito de São Paulo é uma questão pessoal que só acontece com você, não só é fácil de comprovar como ajuda muito na vitimização.
3. Encare também os fenômenos naturais como pessoais e propositais. Se chove é só porque você saiu sem guarda chuva, se está seco é só pra piorar sua rinite, se está sol é só pra piorar sua pele, se está nublado é só porque você não gosta.
4. Sempre que for declinar de algum convite, deixe claro que é por questões acima da sua vontade, como: "eu dependo de condução, então não tenho como voltar pra casa depois das 23:00"; "nunca que eu me sentiria bem num lugar tão sofisticado"; "é que hoje é meu dia de lavar o banheiro lá em casa"; "isso não é pra mim, eu sou muito convencional"

Com a saúde
1. Sinta-se potencialmente propenso a todas as doenças.
2. Sinta todos os sintomas das contra-indicações das bulas.
3. Nunca vá ao médico, assim, quando for, alguma coisa você vai achar. Se isso acontecer diga "tá vendo? Só comigo!"

Outras dicas importantes
1. Perceba o mundo como um grande complô contra você.
2. Ache sempre que tudo tem algo por trás e pode te prejudicar.
3. Perceba seus defeitos como excesso de virtude. Por exemplo: você "é bom demais"; "é inocente demais" ou "acredita demais nas pessoas".
4. Ache-se tão especial que TUDO SÓ ACONTECE COM VOCÊ.
5. More dentro do seu umbigo. Lá sim é quentinho.


E principalmente:
fique semanas encanado achando que a autora escreveu isso pensando em você.

Nenhum comentário: